Três dias depois de receber o perdão do Presidente da República Jovem volta ao crime na Beira

Um dos primeiros reclusos que beneficiou do indulto no âmbito da prevenção contra a COVID-19 voltou a ser detido três dias depois de ser solto, indiciado de assalto a uma viatura na via pública.


Trata-se de Abdul Pedro Tomo, que deixou as celas da cadeia em Savane na última terça-feira, na cidade da Beira, no cumprimento da lei de amnistia e perdão, uma decisão anunciada pelo Presidente da República, Filipe Nyusi.

Actualmente o indiciado está encarcerado com seus comparsas acusados de estarem supostamente envolvidos no assalto de uma viaturas na via pública com recurso a chaves falsas. O acusado nega ser o autor do crime e alega que a polícia o confundiu com um grupo de jovens que acabava de vandalizar uma viatura no bairro maquinino.

Um dos comparsas da quadrilha, diz que o seu azar foi estar no local e na hora errada quando a polícia fazia o seu trabalho operativo.

Refira-se que em 2015, o jovem indultado já ficou detido por ter cometido o mesmo tipo de crime.


Publicar um comentário

0 Comentários